Pular para o conteúdo principal

ESCOLA-EBD.COM

A Igreja vivendo o amor fraternal

 

leitura diária A Igreja vivendo o amor fraternal


Leitura Diária 1 João 1

7 Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.

Reflexão
O amor fraternal é uma das marcas distintivas da Igreja de Cristo. É o vínculo que une os irmãos em uma só família, que se preocupa uns com os outros, que se ajuda nas necessidades, que se alegra e chora junto, que se perdoa e se edifica mutuamente. O amor fraternal é o reflexo do amor de Deus por nós, que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz, e nos fez participantes da sua natureza divina.

Mas como podemos viver o amor fraternal na prática? Como podemos demonstrar esse amor uns aos outros, especialmente em tempos de crise, de conflito, de divisão? Como podemos evitar que o amor se esfrie e se torne apenas uma palavra vazia, sem ação?

A Bíblia nos dá algumas orientações para vivermos o amor fraternal de forma concreta e eficaz. Vejamos algumas delas:

– O amor fraternal deve ser sincero. Romanos 12.9 diz: “O amor seja sem hipocrisia. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem”. Não podemos fingir que amamos os irmãos, mas devemos amá-los de coração, sem falsidade, sem segundas intenções, sem interesse. O amor sincero não é interesseiro, mas altruísta. Não busca o seu próprio benefício, mas o do outro. Não é egoísta, mas generoso. Não é hipócrita, mas verdadeiro.

– O amor fraternal deve ser fervoroso. 1 Pedro 1.22 diz: “Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente”. O amor fervoroso é aquele que arde no coração, que não se apaga, que não se esfria. É um amor que se manifesta em palavras e em obras, que não se cansa de fazer o bem, que não desiste diante das dificuldades, que não se conforma com a mediocridade. O amor fervoroso é um amor apaixonado, que se entrega sem reservas, que se sacrifica pelo bem do outro.

– O amor fraternal deve ser preferencial. Romanos 12.10 diz: “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros”. O amor preferencial é aquele que dá prioridade aos irmãos, que os coloca em primeiro lugar, que os trata com respeito e consideração. É um amor que não compete, mas coopera. Que não inveja, mas admira. Que não despreza, mas honra. Que não humilha, mas exalta. O amor preferencial é um amor que reconhece o valor do outro, que valoriza os seus dons e talentos, que celebra as suas vitórias e conquistas.

– O amor fraternal deve ser sacrificial. 1 João 3.16 diz: “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos”. O amor sacrificial é aquele que segue o exemplo de Cristo, que se entregou na cruz por nós, para nos salvar da condenação eterna. É um amor que não poupa esforços, que não mede custos, que não teme as consequências. É um amor que se dispõe a morrer pelo outro, se for preciso. É um amor que renuncia aos seus direitos, aos seus interesses, aos seus prazeres, em favor do outro. É um amor que sofre com o sofrimento do outro, que se compadece da sua dor, que se solidariza com a sua situação.

Essas são algumas das características do amor fraternal que devemos cultivar na Igreja. Não são fáceis de praticar, mas são possíveis pela graça de Deus e pelo poder do Espírito Santo. Se quisermos ser uma Igreja fiel ao Senhor e ao seu propósito neste mundo, precisamos viver o amor fraternal uns com os outros. Só assim poderemos glorificar a Deus e testemunhar do seu evangelho aos perdidos.

Que Deus nos ajude a viver o amor fraternal!

  • Autores do blog: Ivaldo Fernandes
  • Título: A Igreja vivendo o amor fraternal
  • Last updated: 

Comentários