Pular para o conteúdo principal

ESCOLA-EBD.COM

O Reino de Deus como realidade futura

leitura diária O Reino de Deus como realidade futura


Leitura Diária 1 Coríntios 6
9 Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus?
10 Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.

Reflexão
O Reino de Deus é um dos temas centrais da mensagem cristã. Mas o que significa esse conceito e como ele se relaciona com a nossa vida presente e futura? Neste artigo, vamos explorar algumas perspectivas bíblicas e teológicas sobre o Reino de Deus e sua manifestação na história e na escatologia.

O Reino de Deus na Bíblia

A expressão “Reino de Deus” (ou “Reino dos Céus” em Mateus) aparece mais de 100 vezes nos evangelhos, sendo usada por Jesus para anunciar e explicar a sua missão. O termo grego basileia, traduzido como reino, significa tanto o domínio ou a autoridade de um rei, quanto o território ou a comunidade governada por ele. Assim, o Reino de Deus pode ser entendido como o reinado de Deus sobre toda a criação, bem como o conjunto das pessoas que se submetem à sua vontade e participam da sua graça.

O Reino de Deus tem origem na aliança que Deus estabeleceu com o seu povo Israel no Antigo Testamento. Deus escolheu Israel para ser uma nação santa, sacerdotal e profética, que revelasse ao mundo o seu caráter e os seus propósitos. Porém, Israel falhou em cumprir essa vocação e se desviou dos mandamentos de Deus, sofrendo as consequências do pecado e da opressão. Os profetas, então, anunciaram que Deus restauraria o seu povo e estabeleceria um reino eterno e universal, governado pelo Messias, o descendente de Davi. Esse reino seria caracterizado pela justiça, pela paz, pela prosperidade e pela adoração a Deus.

Jesus se apresentou como o Messias prometido, o Filho de Deus que veio inaugurar o Reino de Deus na terra. Ele demonstrou a sua autoridade sobre as forças do mal, curando os enfermos, expulsando os demônios e perdoando os pecados. Ele ensinou os princípios do Reino de Deus, usando parábolas e sermões que revelavam a vontade de Deus para a humanidade. Ele convocou os seus discípulos a segui-lo e a proclamar o Reino de Deus por toda parte. Ele enfrentou a resistência e a rejeição das autoridades religiosas e políticas, que o condenaram à morte na cruz. Porém, ele ressuscitou ao terceiro dia, vencendo a morte e o pecado, e ascendeu aos céus, onde está assentado à direita de Deus.

O Reino de Deus como realidade presente e futura

A obra de Jesus inaugurou o Reino de Deus na terra, mas não o consumou plenamente. Vivemos em um tempo intermediário entre a primeira e a segunda vinda de Cristo, entre a inauguração e a consumação do Reino de Deus. Nesse tempo, o Reino de Deus é uma realidade presente e futura, já e ainda não.

O Reino de Deus é uma realidade presente porque Jesus já derrotou o poder do mal na cruz e nos concedeu a salvação pela fé. Os que creem em Jesus são feitos filhos de Deus e cidadãos do seu Reino. Eles recebem o Espírito Santo, que os capacita a viver segundo os valores do Reino de Deus e a testemunhar do seu amor ao mundo. Eles fazem parte da igreja, que é o povo do Reino de Deus, chamado para servir a Deus e ao próximo com seus dons e talentos. Eles experimentam as bênçãos do Reino de Deus em suas vidas pessoais, familiares, sociais e profissionais.

O Reino de Deus é uma realidade futura porque Jesus ainda voltará para julgar os vivos e os mortos e para estabelecer definitivamente o seu Reino na terra. Os que pertencem ao Reino de Deus terão parte na ressurreição dos justos e herdarão a vida eterna. Eles verão a Deus face a face e viverão em sua presença para sempre. Eles habitarão na nova terra, onde não haverá mais pecado, nem sofrimento, nem morte. Eles reinarão com Cristo sobre a nova criação, que será restaurada à sua perfeição original.

O Reino de Deus como esperança e compromisso

A tensão entre o presente e o futuro do Reino de Deus nos desafia a viver com esperança e compromisso. Esperança porque sabemos que Deus é fiel às suas promessas e que ele cumprirá o seu plano para a história. Compromisso porque sabemos que Deus nos convida a colaborar com a sua obra, sendo agentes do seu Reino no mundo.

Viver com esperança e compromisso significa buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, confiando que ele suprirá todas as nossas necessidades. Significa orar pelo Reino de Deus, pedindo que ele venha e que seja feita a sua vontade na terra como no céu. Significa anunciar o Reino de Deus, proclamando o evangelho de Jesus Cristo com palavras e ações. Significa praticar o Reino de Deus, amando a Deus de todo o coração e ao próximo como a nós mesmos.

O Reino de Deus é uma realidade futura, mas também uma realidade presente. Ele é uma dádiva de Deus, mas também uma responsabilidade nossa. Ele é uma esperança que nos anima, mas também um compromisso que nos desafia. Que possamos viver como cidadãos do Reino de Deus, aguardando com fé e alegria a sua vinda gloriosa.

  • Autores do blog: Ivaldo Fernandes
  • Título: O Reino de Deus como realidade futura
  • Last updated: 

Comentários