Pular para o conteúdo principal

ESCOLA-EBD.COM

A restituição de Israel (Moisés e o Tabernáculo)

o restaurar da comunhão
A. As estatísticas acerca do Tabernáculo (Êxodo 25.9; 26.30): Deus dá a Moisés os detalhes exatos para a construção do Tabernáculo
1.As dádivas (Êxodo 25.1-8; 35.4-29; 36.5-7; Números 7.1-89): Deus dá a Moisés uma lista de dádivas aceitáveis para o Tabernáculo: ouro, prata, linho fino etc. Ele também descreve o perfil correto do contribuinte: “todo homem cujo coração se mover voluntariamente”. Números 7 descreve as dádivas apresentadas pelos
12 líderes das tribos durante um período de 12 dias.
2. Os materiais (Êxodo 26.1; 27.10; 30.18; 35.7): O Tabernáculo deve ser construído de prata, bronze, linho fino e peles de animais.
3. Os artesãos (Êxodo 31.1-11; 35.30-35; 36.1-4): Bezaleel, da tribo de judá, e Aoliabe, da tribo de Dã, são designados para supervisionar a construção do Tabernáculo.
4. O átrio (Êxodo 27.9-15, 18; 38.9-1 7): A área do Tabernáculo deve ter aproximadamente 50 m de comprimento, 25 m de largura e 2,5 m de altura (muros).
5. A entrada (Êxodo 27.16-19; 38.18-20): O Tabernáculo deve ser coberto por uma cortina de 10 m de largura.
6. As cortinas (Êxodo 26.1-13; 36.8-18)
a. Cortinas de linho (Êxodo 26.1-6; 36-8.13)
b. Cortinas de pêlos de cabra (Êxodo 26.7-13; 36.14-18)
7. A coberta de pele de carneiro (Êxodo 26.1 4; 36.19)
8. As tábuas e encaixes (Êxodo 26.15-29; 36.20-34): Deve haver 48 tábuas para a própria tenda, cada uma com cerca de 5 m de altura por quase 80 cm de largura.
9. O incenso e os óleos perfumados (Êxodo 30.22-29, 34-38; 37.29): Incenso e óleos perfumados para o Tabernáculo são feitos a partir de uma mistura de incenso puro, mirra líquida, canela e óleo de oliva.
10. O altar de bronze (Êxodo 27.1-8, 38.1-7): O altar de bronze deve ser feito com madeira de acácia e coberto com bronze, tendo aproximadamente 2,5 m de largura e 1,5 m de altura, com uma trombeta de cada lado.
11. A bacia de bronze (Êxodo 30.1 7-21; 38.8): A bacia deve estar com água para ser usada no cerimonial de purificação. Seu pedestal deve ser coberto com espelhos. 

12. A mesa (Êxodo 25.23-30; 37.10-16; Levítico 24.5-9): A mesa deve ser feita de madeira de acácia coberta com ouro. Deve ter cerca de 1 m de comprimento, 50 cm de largura e quase 80 cm de altura. Doze pães da Proposição devem ser colocados na mesa aos sábados. 
13. O candelabro (Exodo 25.31-40; 27.20-21; 37.17-24; Levítico 24.1-4; Números 8.1-4): Deve ser feito de puro ouro batido, com seis ramos e uma haste central, e deve ser mantido permanentemente aceso. 
14. O altar do incenso (Êxodo 30.1-10; 37.25-28): O altar deve ser feito de madeira de acácia, coberta com ouro. Deve ter aproximadamente 50 cm2 e 1 m de altura, e deve ser colocado à frente da cortina do Santo dos Santos. 
15. A Arca da Aliança (Êxodo 25.10-22; 26.34; 37.1-9): Esta arca deve ser feita de madeira de acácia e coberta com ouro. Deve ter cerca de 1,3 m de comprimento-e quase 80 cm de largura e de altura. A tampa, chamada propiciatório, deve ser feita de ouro maciço. Dois querubins em ouro, com as asas abertas, devem ser colocados no topo da tampa. 
16. O véu interior (Êxodo 26.31-33; 36.35-36): Deve ser feito de estofo azul, púrpura e linho escarlate retorcido, e deve separar o Lugar Santo do Santo dos Santos. 
17. O véu exterior (Êxodo 26.36-37; 36.37-38): Semelhantemente ao véu interior, deve separar o átrio exterior do Lugar Santo. 
18. O imposto do santuário (Êxodo 30.11-16): Metade de um ciclo (quase 6 g) de prata deve ser entregue por todos com 20 anos ou mais. 
19. O preço (Êxodo 38.21-31): Mais de 900 kg de ouro, 3,4 mil kg de prata e 2,4 mil kg de bronze foram coletados do povo. 
20. O acabamento (Êxodo 39.32-40.33): “Os filhos de Israel fizeram conforme tudo o que Senhor ordenara a Moisés… Viu, pois, Moisés toda a obra… então Moisés os abençoou”. O Tabernáculo é erguido no primeiro dia do ano, um ano após os israelitas terem sido libertados do Egito. 
21. A glória (Êxodo 40.34-38): “Então a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do Senhor encheu o tabernáculo, de maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação”. 
B. Os sacerdotes supervisionam o Tabernáculo 
1. As roupas do sumo sacerdote (Êxodo 28.1-5): Deus instrui Moisés a começar a confecção das roupas sacerdotais de Arão. 
a. A estola (Êxodo 28.6-14; 39.1-7): Deve ser feita de tiras de linho fino multicoloridas. Consiste em duas metades, frontal e traseira, ligadas na altura do ombro. Os nomes das 12 tribos de Israel devem ser inscritos em duas pedras de ônix. 
b. O peitoral (Êxodo 28.1 5-30; 39.8-21): Deve ser feito de linho fino, com cerca de 23 cm de comprimento e largura, “quadrado e duplo”. Doze pedras preciosas representando as doze tribos de Israel devem ser montadas em quatro colunas. O Urim e o Tumim devem ser colocados no bolso do peitoral, mas não se conhece exatamente a origem e a função dessas pedras. De alguma forma, elas são usadas para determinar o desejo de Deus em relação a algum assunto. 
c. A sobrepeliz da estola (Êxodo 28.31-35; 39.22-26): Deve ser feita de estofo azul, com campainhas de ouro presas a ela. 
d. O medalhão de ouro (Êxodo 28.36-38; 39.30-31): Este medalhão deve ser confeccionado de ouro puro e levar a inscrição: “SANTO AO SENHOR”. Deve ficar na frente do turbante de Arão. 
2. A roupa dos outros sacerdotes (Êxodo 28.39-43; 29.29-30; 39.27-29): Aos outros sacerdotes devem ser dadas túnicas, calções e tiaras. 
3. A alimentação dos sacerdotes (Êxodo 29.31-34): Parte dos alimentos dos sacerdotes vem dos sacrifícios feitos no Tabernáculo. 
4. As ofertas para os sacerdotes (Êxodo 29.35-46) 
a. Oferta pelo pecado (Êxodo 29.36-37): Um novilho deve ser sacrificado quando da ordenação dos sacerdotes ao seu ofício. 
b. Holocausto (Êxodo 29.38-46): Um cordeiro de um ano deve ser sacrificado a cada manhã, e outro todas as noites. 
5. A dedicação e a unção dos sacerdotes (Êxodo 29.1-28; 30.30-33; Levítico 8.1-36) 
a. Conforme ordenado por Deus (Êxodo 29.1-28; 30.30-33): Um novilho e dois carneiros devem ser sacrificados, pão sem fermento deve ser oferecido. O sangue deve ser colocado na ponta da orelha direita, no polegar direito e no dedão do pé direito dos sacerdotes. 
b. Conforme obedecido por Moisés (Levítico 8.1-36): Moisés dedica Arão e seus filhos conforme Deus ordenou. 
6. As regras para os sacerdotes (Levítico 21.1-24; 22.1-16) 
a. Com relação à contaminação (Levítico 21.1-4, 10-12; 22.1-16): São dadas instruções com relação à impureza cerimonial devido ao contato com um morto, um animal impuro, um fluxo corpóreo etc. 
b. Com relação à desfiguração (Levítico 21.5-6): Os sacerdotes estão proibidos de raspar a cabeça, aparar a barba e de se cortar. 
c. Com relação à vida doméstica (Levítico 21.7-9, 13-15): Um sacerdote não pode casar-se com uma prostituta ou uma mulher divorciada. A mulher do sumo sacerdote deve ser uma virgem da tribo de Levi. 
d. Com relação aos defeitos (Levítico 21.16-24): Uma pessoa não pode oferecer sacrifícios se for ana, cega, aleijada, corcunda ou se tiver qualquer parle do corpo lesionada.
7. O início do ministério sacerdotal (Levítico 9.1-24): Depois de oferecer os sacrifícios prescritos, “Arão, levantando as mãos para o povo, o abençoou… pois saiu fogo de diante do Senhor, e consumiu o holocausto e a gordura sobre o altar”.

C. Os sacrifícios no Tabernáculo
1. A forma correta de se sacrificar (Levítico 1 7.1-9; 22.1 7-33)
2. O holocausto (Levítico 1.1-1 7; 6.8-13)
3. Oferta de grãos (Levítico 2.1-16; 6.14-23)
4. Sacrifícios pacíficos (Levítico 3.1-1 7; 7.11-38; 19.5-8)
5. Oferta pelo pecado (Levítico 4.1-35; 6.24-30)
6. Oferta pela culpa (Levítico 5.1-19; 6.1-7; 7.1-10)
7. Oferta pelo primogênito (Êxodo^ 34.19-20)
D. Os dias especiais do Tabernáculo (Êxodo 23.14-1 7; 31.12-1 7; 34.18, 21-26; 35.1-3; Levítico 16.1-34; 19.30; 23.1-44; 25.1-24; 26.2)
1. O sábado (Êxodo 31.12-17; 34.21; 35.1-3; Levítico 19.30; 23.1-3; 26.2): Israel é instruído a descansar no sétimo dia e a conservá-lo santo. Aqueles que não obedecerem devem ser mortos. O sábado visa relembrar Israel de duas coisas (Êxodo 31.1 7):
a. Deus criou o mundo em seis dias e descansou.
b. Deus tem um relacionamento especial com Israel.
2. O ano sabático (Levítico 25.1-7): Israel deve descansar a terra do plantio a cada sete anos.
3. O ano do jubileu (Levítico 25.8-24): A cada 50 anos, todas as dívidas públicas e privadas devem ser canceladas, e a terra deve ser devolvida aos proprietários originais.
4. A Páscoa (Levítico 23.4-5): Esta festa ocorre no dia 14 do primeiro mês. Celebra o livramento de Israel da escravidão de Egito após o anjo do Senhor passar por sobre as casas marcadas com sangue nos umbrais das portas.
5. A festa dos pães ázimos (Êxodo 34.18; Levítico 23.6-8): Esta festa começa no dia 15 do primeiro mês. Por sete dias, nenhum pão feito com fermento deve ser comido. Ordena-se que todos os homens israelitas estejam presentes no Tabernáculo durante essa festa.
6. A festa das primícias (Levítico 23.9-14): Durante esta festa, os israelitas devem oferecer uma porção das primícias de suas colheitas, bem como um cordeiro de um ano sem defeitos físicos. Ordena-se que todos os homens israelitas estejam presentes no Tabernáculo durante esta festa.
7. A festa de pentecostes (Levítico 23.1 5-22): Esta festa se segue à festa das primícias, durante sete semanas. É feita uma oferta de pão, e muitos animais são sacrificados.
8. A festa das trombetas (Levítico 23.23-25): Este dia de descanso acontece no primeiro dia do sétimo mês e é celebrado com o tocar de trombetas.

9. O Dia da Expiação (Levítico 16.1-34; 23.26-32): Toda a nação de Israel deve jejuar no décimo dia do sétimo mês, em contemplação e tristeza pelo pecado. Neste dia, a expiação será feita pelo sumo sacerdote pelo Santo dos Santos e pelo restante do Tabernáculo, assim como pelos pecados do povo. 
10. A festa dos tabernáculos (Levítico 23.33-44): Começando no décimo quinto dia do sétimo mês, as famílias devem morar em tendas feitas de ramos de árvores para comemorar a peregrinação de Israel no deserto após seu livramento do Egito. Ordena-se que todos os homens israelitas estejam presentes no Tabernáculo durante esta festa. 
E. O panorama do Tabernáculo 
1. O censo das tribos (Números 1.1-46; 2.1-34)
 a. Os números (Números 1.1-46) 
(1) Os nomes dos líderes das tribos (Números 1.1-16): Os líderes de cada tribo de Israel (exceção feita a Levi) são registrados. 
(2) O número dos leigos de cada tribo (Números 1.1 7-46): O total geral (menos os levitas) de todos os homens com, pelo menos, 20 anos de idade é de 603.550. A maior tribo é judá (74.600), e a menor é Manassés (32.200). 
b. A ordem das tribos no acampamento (Números 2.1-34): Cada tribo tem um lugar designado no acampamento, em relação ao Tabernáculo. 
(1) A leste (Números 2.1-9): Judá (líder), Issacar e Zebulom 
(2) Ao sul (Números 2.10-1 7): Rúben (líder), Simeão e Gade 
(3) A oeste (Números 2.18-24): Efraim (líder), Manassés e Benjamim (4) Ao norte (Números 2.25-34): Dã (líder), Aser e Naftali 
2. O censo da tribo religiosa (Levi) 
a. Os fatos (Números 1.47-54; 3.1-1 7, 38-51; 8.5-26): Os levitas não devem ser incluídos no censo regular, pois Deus os adotou de maneira especial e os fez supervisores do Tabernáculo. Todos os homens levitas com um mês ou mais de idade devem ser contados. Eles devem começar a servir no Tabernáculo com 25 anos e aposentar-se aos 50 anos. 
b. As personagens (Números 3.18-24, 27-30, 33-35) 
(1) O clã de Gérson (Números 3.21-24): 7.500 homens 
(2) O clã de Coate (Números 3.27-30): 8.600 homens 
(3) O clã de Merari (Números 3.33-35): 6.200 homens 
c. As tarefas do acampamento (Números 3.25-26, 31-32, 36-37; 4.1-49) 
(1) Gersonitas (Números 3.25-26; 4.21-28, 38-41): Devem acampar no lado oeste do Tabernáculo e são responsáveis pelas cortinas e pela cobertura do Tabernáculo

(2) Coatitas (Números 3.31-32; 4.1-20, 34-37): Devem acampar ao sul do Tabernáculo e são responsáveis por sua mobília (a Arca, o candelabro etc.)
(3) Meraritas (Números 3.36-37; 4.29-33, 42-49): Devem
acampar ao norte do Tabernáculo e são responsáveis por
suas travessas, colunas, bases etc.
F. Os procedimentos padronizados do Tabernáculo (Números 5.5-31; 9.1-14)
1. Com relação à infidelidade (Números 5.5-31)
a. Ciúmes removidos (Números 5.11-31): Se um marido suspeita que sua mulher está sendo infiel, um sacerdote pronuncia uma maldição contra uma jarra de água e faz com que a mulher beba dessa água. Se estiver sendo infiel, tornar-se-á estéril.
b. Justiça restabelecida (Números 5.5-10): Aqueles que fizeram mal aos outros devem restituir a essas pessoas por esse mal praticado.
2. Com relação à impureza (Números 9.1-14): Uma segunda Páscoa é criada para aqueles que não puderam participar da primeira cerimônia devido à impureza cerimonial. Instruções também são dadas com relação aos estrangeiros e àqueles que não observaram a Páscoa.
G. Os separados (nazireus) do Tabernáculo (Números 6.1-21): Os nazireus, aqueles que se dedicam totalmente a Deus, devem observar três votos:
1. Abster-se de qualquer coisa proveniente da videira (Números 6.3-4).
2. Abster-se do corte de cabelo (Números 6.5).
3. Evitar completamente aproximar-se de cadáveres (Números 6.6-7).
H. A súplica (oração) a ser proferida a partir do Tabernáculo (Números 6.22-27): Arão è seus filhos, os sacerdotes, são instruídos a pronunciar esta bênção ao povo de Israel: “O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; o Senhor levante sobre ti o seu rosto, e te dê a paz”.
I. O sustento para o Tabernáculo (Números 7.1-89): As dádivas apresentadas pelos líderes das 12 tribos de Israel são registradas.
1. Dia um (Números 7.12-1 7): Oferta de Judá
2. Dia dois (Números 7.18-23): Oferta de Issacar
3. Dia três (Números 7.24-29): Oferta de Zebulom
4. Dia quatro (Números 7.30-35): Oferta de Rúben
5. Dia cinco (Números 7.36-41): Oferta de Simeão
6. Dia seis (Números 7.42-47): Oferta de Gade
7. Dia sete (Números 7.48-53): Oferta de Efraim
8. Dia oito (Números 7.54-59): Oferta de Manassés
9. Dia nove (Números 7.60-65): Oferta de Benjamim10. Dia dez (Números 7.66-71): Oferta de Dã
11. Dia onze (Números 7.72-77): Oferta de Aser
12. Dia doze (Nm 7.78-83): Oferta de Naftali
J. A nuvem sobre o Tabernáculo (Números 9.1 5-23): Quando o Tabernáculo é erguido, a presença do Senhor (por vezes chamada “shekinah”) paira sobre o Tabernáculo como uma nuvem durante o dia e
como uma coluna de fogo durante a noite. Quando ela se move, o povo se move. Quando ela para, o povo para.
K. As trombetas de prata do Tabernáculo (Números 10.1-10): Duas trombetas de prata devem ser feitas para instruir o povo. Quando as duas forem tocadas, todo o povo deve reunir-se à entrada do Tabernáculo. Quando apenas uma delas for tocada, apenas os líderes devem atender.
L. Os filhos de Arão no Tabernáculo (Levítico 10.1-20)
1. Nadabe e Abiú: a conduta errada (Levítico 10.1 -11): Após oferecerem fogo não-santo sobre o altar (talvez por estarem bêbados), Nadabe e Abiú são consumidos pelo fogo enviado pelo Senhor.
2. Eleazar e Itamar: o mal-entendido (Levítico 10.12-20): Eleazar e Itamar não seguiram as instruções dadas por Moisés com relação à oferta pelo pecado. Isto enraivece Moisés, mas a explicação de Arão para o evento o acalma.
M. Blasfêmia contra Deus no Tabernáculo (Levítico 24.10-16, 23): Um homem de mãe israelita e pai egípcio blasfema contra Deus. O Senhor instrui os israelitas a apedrejá-lo até a morte, embora seu pai
não fosse um israelita.

fonte: bíblia em esboços.

  • Autores do blog: Ivaldo Fernandes
  • Título: A restituição de Israel (Moisés e o Tabernáculo)
  • Last updated: 

Comentários