Pular para o conteúdo principal

ESCOLA-EBD.COM

Libertando o Povo de Deus (Êxodo 5.1 -13.22)

 A. O problema (Êxodo 5.1-23) 

1. Quanto a Faraó (Êxodo 5.1-14) 
a. O Faraó insulta o Deus de Israel (Êxodo 5.1-3) 
(1) Moisés a Faraó: “Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Deixa ir o meu povo”. 
(2) Faraó a Moisés: “Não conheço o Senhor, nem tampouco deixarei ir a Israel”. 
b. Faraó aflige os israelitas (Êxodo 5.4-14): Ele os obriga a recolher sua própria palha para fazer tijolos. 
2. Quanto ao povo (Êxodo 5.15-23): Descobrindo o motivo da sobrecarga no serviço, os anciãos dos judeus se zangam com Moisés e Arão. Moisés, por sua vez, reclama com Deus. 
B. A promessa (Êxodo 6.1-30) 
1. A natureza (da promessa) (Êxodo 6.1-13): Moisés é reanimado, no sentido de que o Deus de Abraão, Isaque e Jacó — o próprio Deus — irá, de fato, libertá-los do Egito e conduzi-los à Terra Prometida. 
2. Os nomes (Êxodo 6.14-30): Estes versículos registram as famílias de Rúben, Simeão e Levi (antepassado de Moisés e Arão). 
C. O profeta (Êxodo 7.1-2):
 Arão é designado para atuar como profeta e orador de Moisés. 
D. O poder (Êxodo 7.3-7): 
Deus logo derramará sua ira divina sobre a terra do Egito.
E. Os preliminares (Êxodo 7.8-13): Quando Moisés e Arão confrontam Faraó novamente, o soberano ordena que seja demonstrado o poder do Deus deles. Arão atira sua vara no chão e ela vira uma serpente. Os magos do Faraó fazem o mesmo, mas a serpente de Arão engole as deles. 
F. As pragas (Êxodo 7.14-10.29; 11.1, 4-10):
 Já que Faraó se recusou a ouvir, o Senhor dá início a uma série de dez pragas no Egito. Após cada praga, Senhor concede a Faraó a oportunidade de mudar de idéia, mas ele se recusa continuamente a fazê-lo. 
1. Sangue (Êxodo 7.14-25): Moisés volta sua vara em direção ao Nilo e as águas se transformam em sangue. Logo, toda a água do Egito fica poluída de forma semelhante. 
2. Rãs (Êxodo 8.1-15): Uma praga de rãs cobre a terra. Faraó pede que Moisés as remova, e então ele permitirá a libertação do povo, mas quando as rãs são retiradas Faraó volta atrás. 
3. Piolhos (Êxodo 8.16-19): Arão fere o pó e, de repente, piolhos infestam toda a nação. Os magos do Faraó o aconselham a libertar Israel, mas ele se recusa. 
4. Moscas (Êxodo 8.20-32): O Egito é tomado por enxames de moscas, mas nenhuma aparece na terra de Gósen, onde vivem os israelitas. Novamente, Faraó promete libertá-los, mas, assim que as moscas vão embora, ele se recusa a fazê-lo. 
5. Peste nos animais (Êxodo 9.1-7): Todos os animais egípcios ficam doentes e começam a morrer, mas nenhum animal israelita é atingido. 
6. Úlceras (Êxodo 9.8-12): Depois que Moisés atira brasas de uma fornalha ao ar, úlceras infecciosas surgem nas pessoas e nos animais. 
7. Chuva c/e pedras (Êxodo 9.13-35): Antes da próxima praga, Deus revela a Moisés e a Faraó o propósito daquelas pragas: “Para que saibas que não há nenhum outro como eu em toda a terra”. Alguns egípcios dão ouvido ao alerta de Deus e retiram seus animais do campo para protegê-los da chuva de pedras. Faraó diz que libertará o povo, mas muda de idéia assim que a praga cessa. 
8. Gafanhotos (Êxodo 10.1-20): Faraó permite apenas que os homens de Israel partam para adorar ao Senhor. Moisés rejeita sua oferta, e o Senhor envia um forte vento ocidental que sopra a pior praga de gafanhotos da história do Egito. Faraó arrepende-se, Deus remove os gafanhotos, porém Faraó muda de idéia mais uma vezv 
9. Trevas (Êxodo 10.21-29): Deus envia profundas e aterrorizantes trevas sobre todo o Egito durante três dias. Faraó concorda em libertar os israelitas, mas os rebanhos têm de ficar. Moisés recusa. 
10. A morte dos primogênitos (Êxodo 11.1, 4-10): O Senhor diz a Moisés que esta praga resultará na libertação de Israel. 
G. A preparação (Êxodo 12.1-11, 14-28):
 Cada família israelita é instruída a matar um cordeiro no dia 14 do primeiro mês do calendário hebraico (na primavera). O sangue desse cordeiro deve ser aspergido nas ombreiras e na verga das portas.
H. A proteção (Êxodo 12.12-13):
 O Senhor avisa ao povo: “Ferirei todos os primogênitos na terra do Egito, tanto dos homens como dos animais”. Mas ele assegura que, “vendo eu o sangue, passarei por cima de vós”, poupando o primogênito da casa, para que não morra. 
I. O pânico (Êxodo 12.29-33): 
Em seguida à morte de seu primogênito, no dia 14 do mês, Faraó intima Moisés e ordena que ele conduza Israel para fora do Egito. 
J. Os presentes (Êxodo 11.2-3; 12.34-36):
 Os egípcios, apavorados, dão aos israelitas de partida roupas e presentes caros de prata e ouro. K. A partida (Êxodo 12.37-39): Por volta de 600 mil homens (alguns deles não israelitas), junto com suas mulheres e seus filhos, deixam o Egito à noite. 
L. O período de tempo (Êxodo 12.40-41): 
Israel permaneceu no Egito durante 430 anos. 
M. A festa da Páscoa (Êxodo 12.41 -51 f:
 Os estrangeiros são proibidos de comer o cordeiro pascal, a menos que sejam circuncidados. Nenhum osso do cordeiro deve ser quebrado. 
N. Os pais e os filhos (Êxodo 13.1-16):
 Todos os primogênitos israelitas devem ser consagrados a Deus. Ao chegar à Terra Prometida, os israelitas devem observar a festa da Páscoa anualmente, e os pais devem contar aos filhos da fidelidade de Deus ao livrá-los do Egito. 
O. A nuvem e a coluna de fogo (Êxodo 13.1 7-22): 
Deus guia seu povo à Terra Prometida num longo trajeto através do deserto e do mar Vermelho. Uma nuvem os guia durante o dia,e uma coluna de fogo, durante a noite.
fonte: biblia em esbocos
  • Autores do blog: Ivaldo Fernandes
  • Título: Libertando o Povo de Deus (Êxodo 5.1 -13.22)
  • Last updated: 

Comentários