Pular para o conteúdo principal

ESCOLA-EBD.COM

Renúncia e a glória progressiva da “porta estreita”



Leitura Diária 

Mateus 16
24 Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;
Romanos 6
6 Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado.
Gálatas 5
24 E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.

Reflexão

A jornada espiritual é frequentemente descrita como um caminho repleto de desafios e escolhas difíceis. A metáfora da "porta estreita" mencionada em Mateus 16.24, Romanos 6.6 e Gálatas 5.24, ilustra a ideia de renúncia pessoal e a busca pela glória progressiva através da fé e da disciplina espiritual.
Siga o canal "Leitura Diária da EBD" no WhatsApp: CLIC AQUI
Em Mateus 16.24, Jesus convida seus seguidores a negarem a si mesmos, tomar a sua cruz e segui-lo, sugerindo um caminho de autonegação e sacrifício. Romanos 6.6 fala sobre o velho homem crucificado com Cristo, para que o corpo do pecado seja destruído, e assim, não sirvamos mais ao pecado. Gálatas 5.24 reforça essa mensagem, afirmando que aqueles que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne com suas paixões e desejos.

Esses versículos bíblicos ressaltam a importância de uma vida de renúncia, onde as tentações e desejos mundanos são deixados para trás em favor de uma vida guiada pelo Espírito. A "porta estreita" simboliza a escolha consciente de seguir um caminho menos percorrido, que requer disciplina, comprometimento e fé.

A renúncia não é um fim em si mesma, mas um meio para alcançar uma glória maior, uma transformação progressiva que nos aproxima da imagem de Cristo. É um processo contínuo de crescimento e amadurecimento espiritual, onde cada passo de obediência e cada ato de sacrifício nos leva a uma compreensão mais profunda do amor e da graça divina.

A mensagem é clara: a verdadeira liberdade e alegria são encontradas não na indulgência do eu, mas na entrega a um propósito maior. A "porta estreita" é, portanto, um convite à transformação e à esperança de uma glória eterna.

  • Autores do blog: Ivaldo Fernandes
  • Título: Renúncia e a glória progressiva da “porta estreita”
  • Last updated: 

Comentários