Pular para o conteúdo principal

ESCOLA-EBD.COM

Lição 06 - Jovens

Jovens 2° trimestre 2024

12 de Maio de 2024

TEXTO PRINCIPAL
“Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal.” (2 Co 5.10)

RESUMO DA LIÇÃO
É preciso cuidar do corpo, pois ele é a morada do Espírito Santo em nós.

LEITURA SEMANAL
SEGUNDA – Gn 1.27 Deus criou o homem e a mulher
TERÇA – Gn 3.6 O primeiro pecado não foi o ato sexual
QUARTA – Hb 13.4 Deus julgará os que se prostituem
QUINTA – 1Co 6.13 O corpo é para o Senhor

SEXTA – Sl 139.16 Deus nos conheceu antes do nosso nascimento
SÁBADO – Mt 22.30 Seremos como os anjos na ressurreição

OBJETIVOS
SABER que Deus nos criou seres sexual;
CONSCIENTIZAR do perigo do mal uso do corpo e da sexualidade;
COMPREENDER qual é o propósito da sexualidade humana.

INTERAÇÃO
Professor(a), na lição deste domingo, estudaremos a respeito da realidade bíblica do cuidado com o corpo. Você terá a oportunidade ímpar de ensinar aos jovens que a fé cristã tem limites éticos em relação a sexualidade: o sexo deve ser desfrutado no casamento hétero e monogâmico. A Bíblia Sagrada, condena o sexo entre solteiros, entre pessoas do mesmo sexo, entre casados e solteiros etc. Sabemos que, embora distintos entre si, homem e mulher se complementam de tal forma que devem se unirem e serem felizes também com o ato sexual, depois do casamento. Deus preparou a união entre o homem e a mulher no casamento para que não abusassem os de nossos corpos e não fossemos dominados pelo pecado. A sexualidade humana é divina, o homem é que tem deturpado tudo, maculando a criação de Deus. Entretanto, é preciso que cuidem os do nosso corpo de acordo com a vontade do Eterno, nos abstendo da prostituição e de outras práticas que podem nos levar à perdição eterna.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor(a), a lição deste domingo vai dar a você a oportunidade de ensinar algumas das questões pouco faladas e ensinadas em nosso meio, mas que são fundamentais para uma vida cristã bem-sucedida. A temática a ser enfocada é a sexualidade e a mordomia do corpo. Em geral os crentes não cuidam do corpo como deveriam, pois se esquecem de que ele é a morada, templo do Espírito Santo. A realidade bíblica do cuidado do corpo exige que tenhamos uma alimentação saudável e os devidos cuidados com a nossa saúde física e mental. Infelizmente, em nossas celebrações, geralmente não temos muitas opções saudáveis, como frutas e sucos naturais. Ressalta, no decorrer da lição, que a falta de cuidado com o corpo tem consequências nocivas.

TEXTO BÍBLICO
1 Coríntios 6.12-16

12 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.
13 Os manjares são para 0 ventre, e 0 ventre, para os manjares; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo.
14 Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder.
15 Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo.
16 Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne.

INTRODUÇÃO
O que a fé cristã, inspirada na Bíblia, fala acerca da sexualidade humana? O que Deus preparou para que não abusassem os de nosso corpo e não fôssemos dominados pelo pecado? É o que veremos nesta lição.

 

I- DEUS NOS CRIOU SERES SEXUAIS

1. A criação divina. O Cristianismo ensina, pela Palavra de Deus, que o Eterno criou o homem e a mulher; duas pessoas distintas: física, psicológica e sexualmente. Homem e mulher são diferentes entre si, mas complementares, criados para viver em harmonia e respeito mútuo. Note que a decisão divina de fazer somente dois sexos foi suficiente para que a raça humana pudesse obedecer ao mandamento divino de dominar e povoar a terra, e de se realizar e se reproduzir por meio do ato sexual (Gn 1.28).
2. Somente dois sexos. Quando Deus criou o homem e a mulher, os fez macho e fêmea (Gn 1.27). O Eterno limitou, em sua sabedoria, quaisquer outras formas de arranjo biológico sexual, ordenando que as mulheres nascessem com cromossomos XX, e os homens, com cromossomos XY. A ciência comprova que o nosso sexo é determinado antes mesmo do nascimento e que se nasce homem ou se nasce mulher, não sendo, portanto, compatível bíblica e cientificamente o pensamento de que a pessoa se torna homem ou mulher por uma questão de escolha ou de insatisfação com o seu sexo biológico.
3. O pecado de Adão e Eva não foi o relacionamento sexual. De forma distorcida, há quem imagine que o pecado inicial que fez com que o homem e a mulher fossem expulsos do Paraíso foi o sexo. A Palavra de Deus é bem clara mostrando que Satanás não tentou o casal nessa área, e sim que despertou neles o desejo de serem como Deus (Gn 3.1-7). O sexo não tornou os humanos pecadores, e sim o ato de se esquecerem de Deus e desobedecê-lo. É certo que, por causa do pecado, a sexualidade humana foi distorcida, mas isso não significa que devamos seguir os padrões estabelecidos pelo mundo para a vida sexual, pois a Palavra de Deus nos orienta quanto à pureza necessária sobre o corpo para aqueles que servem a Jesus (1 Co 6.13).

SUBSÍDIO 1
Explique que Deus criou a nossa sexualidade. Entretanto “para alguns sexólogos, a orientação sexual de uma pessoa é definida d e acordo com o gênero que ela identifica-se e por qual gênero sente atração sexual, a saber: (a) heterossexual, quando a atração é pelo gênero oposto; (b) homossexual, quando a atração é pelo mesmo gênero; (c) bissexual, quando a atração é por ambos os gêneros; (d) assexual, quando inexiste atração por gênero algum; (e) pansexual, quando a atração não depende de gênero”. Com o crente, não aceitamos tal orientação, pois são contrárias às Escrituras Sagradas, nosso manual de fé e prática. O cristão deve se posicionar contrário a tudo aquilo que tenta desconstruir os princípios bíblicos. Atualmente, também existem pessoas que se denominam não binárias, que não se encaixam em nenhum gênero, nem masculino e nem feminino. Na atualidade, erroneamente muitos consideram que a prática heterossexual não é a única sexualidade possível. Nós devemos continuar crendo no que a Bíblia diz e ela afirma que “assim Deus criou o ser humano à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gn 1.27 -NAA).” (Adaptado de BAPTISTA, Douglas. A Igreja de Cristo e o Império do Mal: Como Viver Neste Mundo Dominado pelo Espírito da Babilônia. Rio de Janeiro: CPAD, 2023. p. go.)

 

II- PERIGOS DO MAU USO DO CORPO E DA SEXUALIDADE

1. A prostituição. A Palavra de Deus nos faz sérias advertências contra a prostituição (Hb 13.4Hb 13.4). Tal prática era comum entre os povos que não serviam a Deus. Com o tempo, passou também a ser praticada entre os hebreus. Uma das referências sobre a prostituição e suas consequências vem os quando os hebreus saíram do Egito e passaram pela terra de Moabe. O rei dos moabitas contratou Balaão para lançar maldições contra o povo de Deus, mas por mais que tentasse, o agoureiro foi impedido pelo Eterno de exercer seu ofício (Nm 22,23). Mas não muito tempo depois, o povo do Senhor foi atacado por uma praga. Essa foi consequência do conselho de Balaão ao rei dos moabitas, para que enviasse mulheres para perto do acampamento dos hebreus. Elas se ofereceram para os homens hebreus e pediram em troca uma adoração aos deuses cananeus. O julgamento de Deus foi incisivo, pois além de alguns homens israelitas se envolverem com a prostituição, essa foi seguida pela idolatria. Dois sérios pecados cometidos contra o Eterno, que enviou pragas contra os hebreus e 24.000 deles morreram (Nm 25.1-9). O preço da prostituição é alto para todos que se envolvem nela. Nos tempos do Novo Testamento a prostituição também era praticada. Ela é descrita como uma das obras da carne (Gl 5.19), e Paulo adverte aos coríntios, crentes de uma igreja que precisou de diversas reprimendas (1 Co 6.18). Os coríntios viviam em uma cultura bastante erotizada, e precisavam entender que o antigo comportamento sexual promíscuo não seria aceito por Deus.
2. Aborto. O aborto é a interrupção da gravidez, que traz a morte da criança no ventre de sua mãe. Esse tipo de morte é conhecido desde os tempos antigos, e Jó menciona que em seus dias havia o aborto oculto, onde as crianças que estavam no ventre jamais veriam a luz (Jó 3.16). Em nossos dias, é possível ver o quanto o pecado tem destruído o pensamento a respeito da vida humana, pois há pessoas que lutam pelos direitos de preservação dos animais – o que é lícito – e ao mesmo tempo, colocam seus nomes em listas de apoio ao aborto. Essas pessoas defendem o direito de uma mãe ser a assassina do seu próprio filho! Somente a graça de Deus pode socorrer uma mulher que se vale do aborto para ocultar uma relação sexual que não deveria ter tido.
3. Formas distorcidas de sexualidade. Deus criou homem e mulher, e essa regra divina vem sendo obedecida desde a concepção do ser humano. Talvez por isso, Satanás tenha incentivado tanto a morte de crianças no ventre de suas mães. Todo ser humano nasce homem ou mulher, e a própria biologia prova essa ação divina que exclui a possibilidade de uma pessoa nascer no corpo errado. Por mais que ideologias recentes tentem impor pensamentos que digam que é possível nascer de um jeito e se sentir de outro, tal pensamento vai contra a biologia e contra a Palavra de Deus.

SUBSÍDIO 2
“Ao formar o ser humano, Deus também criou a sexualidade” (Gn 1.27,28). Não se trata, portanto, de algo impuro. O pecado não está no sexo, m as na perversão do seu propósito. Nossa Declaração de Fé leciona que a relação sexual não é só para procriar, mas também para o prazer, dentro dos limites do matrimônio e do uso natural do corpo (Rm 1.26,27; Hb 13.4). Todavia, em nossos dias, tem -se percebido o abuso da grande mídia em veicular e induzir cada vez mais a erotização e a libertinagem . A sensualidade do corpo humano é explorada nos filmes, novelas, artes, músicas e Literaturas, dentre outros meios. O objetivo é de sedução e estímulo da sexualidade e das suas práticas sexuais ilícitas. Com o resultado, a Licenciosidade — a conduta sexual desregrada e imoral — proliferam assustadoramente (1 Co 6.10). Os desafios de nosso tempo são cada vez maiores; o casamento e o divórcio estão banalizados e deturpados (Mt 19.7,8). Muitos estão chafurdados no pecado de adultério e escravizados pela pornografia (Mt 5. 28; 19.9). Na sociedade depravada, o sexo grupai e o swing (troca de casais) são praticados e estimulados. O vocabulário é permeado de palavras de lascívia e expressões maliciosas (Cl 3.8). As crianças estão sendo submetidas à erotização precoce no ambiente escolar por meio da imposição da ideologia de gênero. Diante disso, Paulo adverte os cristãos para que “fujam da imoralidade sexual’ (1 Co 6.18a, NVI) e orienta o crente salvo dizendo que “todas as coisas m e são lícitas, m as eu não me deixarei dominar por nenhuma” (1 Co 6.12b, NAA). Isso significa que todas as coisas estão em nosso poder, mas não podemos ser colocados sob o poder de nenhuma delas.” (BAPTISTA, Douglas. A Igreja de Cristo e o Império do Mal: Como Viver Neste Mundo Dominado pelo Espírito da Babilônia. Rio de Janeiro: CPAD, 2023, p. 106).

III- O FIM DA SEXUALIDADE HUMANA

1. A glorificação. Na eternidade, homens e mulheres não terão a sua sexualidade, pois não precisarão dela. Certa vez, um grupo de saduceus, homens que não acreditavam na ressurreição, cercou Jesus e trouxe uma questão capciosa: um homem e uma mulher se casaram, e o homem morreu algum tempo depois. Segundo as leis de Israel, a viúva deveria se casar com o irmão subsequente do morto para gerar pelo menos um filho, a fim de que a memória do morto pudesse ser passada à geração seguinte. Mas na história contada pelos saduceus, o segundo homem se casou com a mulher, mas também morreu, como também os irmãos dele, que somavam ao todo sete homens. Por fim, a mulher também morreu. De quem ela seria esposa na eternidade (Mt 22.23-33)? Por mais que essa história servisse para tentar deixar Jesus em uma situação desconcertante, o Senhor respondeu que eles erravam não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus, pois na eternidade seriam os como anjos, que não se casam nem se dão em casamento (Mt 22.29). Deus determinou que o corpo glorificado não tenha traços distintivos da sexualidade humana, pois na eternidade isso não será necessário.
2. O destino eterno dos que rejeitaram a Cristo. Da mesma forma que haverá um destino para os salvos em Cristo, cujos corpos serão transformados e glorificados, os que não receberam a Jesus nem foram salvos serão ressuscitados, mas para a vergonha eterna. Na ordem das duas ressurreições, a primeira será a ressurreição dos salvos em Cristo, e os santos do Antigo Testamento que pela fé esperam a salvação de Deus. Mas para os ímpios ressuscitados não haverá um corpo glorificado, mas um corpo destinado a ficar no lago de fogo por todo o sempre (Ap 20.15). O que fazemos nesta curta vida determinará o nosso destino eterno.

SUBSÍDIO 3
Professor(a), explica que “no Antigo Testamento, a palavra hebraica nephesh é traduzida com o corpo quatro vezes; contudo, a sua tradução mais comum é alma (428 vezes) e vida (119 vezes). Talvez a palavra basar carne seja a que mais se aproxima da distinção entre corpo e espírito. No Novo Testamento, o termo “corpo” (gr. soma) normalmente identifica a parte exterior do ser humano (Mt 10.28; 1Co 15.38). A palavra carne (gr. sarx), quando se refere ao homem físico, inclui a sua dimensão exterior (Lc 24 39: At 2.31). Ambos indicam a parte visível e material da natureza humana. Criado da terra à imagem e semelhança divina, o homem é constituído de três substâncias: espírito, alma e corpo (1 Ts 5.23). Nessa concepção, não podemos cometer pecado com o corpo sem afetar o espírito e a alma (1 Co 6.15-17). O corpo é a morada do Espírito, que não habita em santuário impuro (1 Co 6.18,19). O corpo dos santos será glorificado na vinda de Cristo (1 Co 15.52). Assim, o corpo não deve ser tratado como algo pejorativo. (1 Co 6.20)” (BAPTISTA, Douglas. A Igreja de Cristo e o Império do Mal Como Viver Neste Mundo Dominado pelo Espírito da Babilônia. Rio de Janeiro: CPAD, 2023. p. 106.).



CONCLUSÃO
A sexualidade humana foi planejada por Deus, e isso é uma bênção, mas também um desafio, pois é preciso que cuidemos do nosso corpo de acordo com a vontade de Deus, nos abstendo da prostituição e de outras práticas que podem nos levar à perdição eterna.

HORA DA REVISÃO
1. Deus somente criou dois sexos. Quais são eles?

O Cristianismo ensina, pela Palavra de Deus, que o Eterno criou o homem e uma mulher: duas pessoas distintas fisicamente, psicológica e sexualmente.

2. Segundo a lição, qual foi o pecado de Adão e Eva?

 O pecado deles foi o ato de se esquecerem de Deus e desobedecê-lo.

3. O que o pecado causou na sexualidade?

Por causa do pecado, a sexualidade humana foi distorcida

4. Com o a prostituição é descrita no Novo Testamento?

Ela é descrita como uma das obras da carne (Gl 5.19).

5. Qual foi a resposta de Jesus à pergunta capciosa dos saduceus?

O Senhor respondeu que eles erravam não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus, pois na eternidade seriam os como anjos, que não se casam nem se dão em casamento (Mt 22,29).
  • Autores do blog: Ivaldo Fernandes
  • Título: Lição 06 - Jovens
  • Last updated: 

Comentários