Pular para o conteúdo principal

ESCOLA-EBD.COM

Leitura Diária 3° trimestre 2024 - CPAD

 

Leitura Diária  3° trimestre  2024 - CPAD - escola dominical - EBD

Leitura Diária do 3° trimestre de 2024 da Escola Dominical (EBD) pela CPAD. Estudo de Segunda a Sábado com temas bíblicos relevantes, incentivando o crescimento espiritual e o entendimento profundo das Escrituras. Uma jornada diária de aprendizado e edificação na fé cristã.

01 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo


Sexta – Rt 1.11-13 Mulheres sábias compreendem o seu papel no Reino de Deus

Sábado – Et 2.15-17 Mulheres que se portam de maneira humilde

02 - O Livro de Rute

Segunda - Rt 1.1; 4.21-22 O contexto do Livro de Rute remete aos juízes 
Terça - jz 1.7-19 Um contexto de anarquia e infidelidade do povo hebreu 
Quarta - jz 2.7-13; 3.5-7 Israel atraído à idolatria dos cananeus 
Quinta - Sl 103.8;jl 2.13; Rm 2.4 Longanimidade e misericórdia de Deus
Sexta - Gn 49.10 O cetro não se afastará da tribo de Judá
Sábado - cf. ef 2.11-16 Boaz e Rute: o prenúncio da derrubada da parede de separação

03 - Rute e Noemi: Entrelaçadas pelo Amor

Segunda - Hb 11.32-34 Tirando força da fraqueza, batalhando e se esforçando
Terça - Pv 20.11 Quando a manipulação sutil se manifesta desde a infância
Quarta - Pv 17.17 Quando um amigo é mais chegado que um irmão
Quinta - Mt 6.19-21; 1 Tm 6.17-19; Tg 5.1-6 A situação do rico diante do princípio da Palavra de Deus
Sexta - Tt 2.3-5 O papel das mulheres mais velhas na orientação das mais novas 
Sabado - Lc 24.1-10; Jo 20.11-18 As mulheres como testemunhas no ministério de Jesus

04 - O Encontro de Rute com Boaz

Segunda - Gn 38.6-11; Dt 25.5-10 O costume do casamento conforme a Lei 
Terça - Mt 5.13-16 A importância do testemunho pessoal em todas as áreas da vida 
Quarta - Mc 2.15-17; Jo 4.3-27 Jesus, o homem puro que interagia com todos
Quinta - Mt 11.19 Humildade e mansidão como virtudes cristãs essenciais 
Sexta - 2 Co 9.6; Gl 6.7 A inflexível lei da semeadura na vida 
Sábado - Jó 14.7-9 Quando a esperança brota em meio às tormentas da vida

05 - O Casamento de Rute e Boaz: A Remição da Família

Segunda - Gn 2.18; Ec 4.9-12; Hb 13.4 O casamento como instituição divina fundamental
Terça - Sl 27.14; Pv 20.21 Esperando o tempo certo e o desfecho do devido processo
Quarta - Gn 2.24; Ef 5.25-28; 1 Pe 3.7 A liderança masculina na família pressupõe atitude, amor e honra
Quinta - Sl 128.6 Netos como recompensas aos avós é sinônimo de renovação de vida
Sexta - Ez 16.8 O compromisso de Deus com o povo de Israel
Sábado - Io 3.16; r Pe 1.18,19 Jesus Cristo, nosso Senhor, como Redentor eterno

06 - O Livro de Ester

Segunda - 2Tm 3.16,17 O Livro de Ester é a revelação divina escrita, completa e perfeita
Terça - Jr 25.11; 29.10-14 O contexto do Livro de Ester remonta ao Cativeiro Babilônico
Quarta - Ed 1.1-3 O contexto do Livro de Ester remonta ao decreto de Ciro
Quinta- 1Tm 2.1-4 Instruções para os cristãos se relacionarem com governos terrenos
Sexta - Et 3.7-13 Tudo parecia bem até que surgiu uma ordem contra os judeus
Sábado - Et 9.20-28 A instituição da Festa de Purim, o livramento dos judeus

07 - A Deposição da Rainha Vasti e a Ascensão de Ester

Segunda - Et 1.5-8 Assuero faz um convite de um banquete público ao povo da fortaleza de Susã
Terça - Et 1.9 A rainha Vasti também oferece um banquete, porém, restrito às mulheres
Quarta - Et l.10 -12 A rainha Vasti resiste a ordem do rei
Quinta - Et 1.13-15, 20-22 O rei se aconselha com sábios e destitui a rainha
Sexta - Et 2.1-4 O rei Assuero decide escolher uma nova rainha
Sábado - Et 2.16, 17 A rainha escolhida foi a judia Ester

08 - A Resistência de Mardoqueu

Segunda - Éx 23.7; Pv 17.15 A conveniência de se comprovar a acusação para não cometer
injustiças
Terça - Sl 139.16; Hb 4.13; Ap 20.12 As nossas obras estão escritas diante de Deus
Quarta - Êx 17.8-13 Hamã provavelmente era um amalequita, urn povo inimigo de Israel
Quinta - 1 Sm 15.2,8,33 O termo ttagagita" costumeiramente é atribuído ao rei Agague
Sexta - Gn 34.1-31 Episódios bíblicos relatam vingança de família
Sábado - Mt 5.9; Rm 12.18-21; Hb 12.14 Aos cristãos não pertence a vingança, mas o perdão e a paz

09 - A Conspiração de Hamã contra os Judeus

Segunda - Ef 6.9; 1 Pe 5.2,3 Devemos agir com serenidade em qualquer área de liderança
Terça - Et 3.6 Hamã planeja destruir os judeus de todo o reino de Assuero
Quarta - Gn 6.11-13; 2 Tm 3.1-4 A motivação de Hamã para a violência remonta tempos longínquos
Quinta - Et 4.3,4 Luto, jejum, choro e lamentação diante da ameaça de Hamã
Sexta - Dn 6.10; Ef 6.18; 1 Ts 5.17 A importância da oração para suportar as intempéries do mundo
Sábado - Zc 14.4-9; Rm 11.26; Ap 1.7 Jesus, o Messias, salvará Israel, quando de sua conversão nacional
 

10 - O Plano de Livramento e o Papel de Ester

Segunda - Et 1.1-5 Ester envia Hataque para perguntar o que se passava com Mardoqueu
Terça - Nm 12.3-10; Êx 33.22; Sl 5.11 O favor de Deus em livrar seus servos dos infortúnios
Quarta - Et 4.13 Se Ester não agisse nem ela mesma seria poupada
Quinta - Et 4.14 Se o livramento divino não chegasse por intermédio de Ester, chegaria por outro meio
Sexta - 1 Sm 25.18-35; Pv 19.2 A rainha Ester agiu com a sabedoria de outras mulheres na Bíblia
Sábado - Et 5.2,3 O rei Assuero viu Ester e estendeu o seu cetro, disposto a atender-lhe

11 - A Humilhação de Hamã e a Honra de Mardoqueu

Segunda - Et 5.10-14; 6.1 Hamă foi dormir com tudo planejado, enquanto o rei Assuero perdeu o sono
Terça - Rm 8.28 Deus estava agindo poderosamente, fazendo tudo cooperar para o bem
Quarta Pv 16.18-19; cf. Gn 3.1-5; Is 14.13,14 Presumir-se digno de honra reflete a soberba e o orgulho
Quinta - 1 Pe 2.17; 1 Ts 5.12,13 Honrar os que são dignos de honra agrada a Deus
Sexta - Et 6.7-9 A "síndrome de imperador" de Hama revela o egocentrismo mascarado no ser humano
Sábado - Et 6.13 No lugar de receber consolo, Hamā recebe uma palavra aterradora que o deixou amedrontado

12 - O Banquete de Ester: Denúncia e Livramento

Segunda - Et 6.14 Hamã é levado apressadamente para o banquete preparado por Ester
Terça - Et 7.2 A rainha Ester ofereceu um banquete denominado de "banquete de vinho"
Quarta - Et 7.4-6 A rainha Ester denuncia Hamã e todo seu plano ao rei Assuero
Quinta - Et 7.7,8 A ruína de Hamã é inevitavelmente confirmada Sexta - Et 7.9-10; cf. Pv 20.2 A reação física e verbal de Assuero vista como o terror de Hama
Sábado - Lc 12.2 Nada fica oculto ou encoberto diante do Deus Todo-Poderoso

13 -Ester, a Portadora das Boas-Novas

Segunda - Et 8.7,8 O decreto do rei Assuero não podia ser revogado
Terça - Dn 6.8,15 Essa é a lei dos Medos e dos Persas que remonta ao rei Assuero
Quarta - Et 9.20-28 O estabelecimento da Festa de Purim, uma festa comemorativa de livramento
Quinta - Et 10.3 Mardoqueu é engrandecido como o segundo maior do reino
Sexta - 1 Co 10.31 Tudo o que fizermos deve ser feito para a glória de Deus
Sábado - Gn 1.27; 2.15-18 Deus chama homens e mulheres para serem relevantes no mundo

  • Autores do blog: Ivaldo Fernandes
  • Título: Leitura Diária 3° trimestre 2024 - CPAD
  • Last updated: 

Comentários